Newsletter


Cadastre-se e receba informações
da Clínica Herter





Av. Independência, 1211 - Cj. 201 - CEP 90035-077 - Porto Alegre - RS - (51) 3311.0671 - 3311.0075




O que é endometriose?
Rosi Pereira Balbinotto.

A Endometriose é definida classicamente: como a presença de tecido endometrial (menstrual) fora da cavidade uterina, dentro da cavidade abdominal (ilustração1). Acomete principalmente mulheres em sua etapa reprodutiva de vida, afetando significativamente sua fertilidade. A dor pélvica acentuada em período pré- menstrual e a dor à penetração profunda durante o ato sexual são os principais sintomas. Cólicas intestinais e/ou ardência ao urinar, falta de ovulação ou anovulação (12 a 27% dos casos) também podem ser encontrados, apesar de alguns autores citarem até 40% de pacientes assintomáticas.


Incidência?
Estima-se que a endometriose acometa 10 a 15% das mulheres que menstruam, entre os 25 e os 44 anos de idade, mas também pode ocorrer em adolescentes.

É normal ter dor menstrual?
A dor menstrual que surge nos primeiros anos da menstruacão e tende a melhorar com a idade e depois do primeiro filho, não está usualmente relacionada com endometriose. A dor menstrual que ocorre posteriormente na vida da mulher e piora com o passar do tempo, deve ser considerada como um sinal de alarme de uma possível endometriose. O principal sintoma da endometriose é a dor, às vezes muito forte, na época da menstruação, que tende a piorar com os anos.

Existem outros sintomas de endometriose?
É comum a sensação dolorosa na região abdominal inferior e na área pélvica, irregularidades menstruais e infertilidade, além de dor durante a relação sexual antes ou durante a menstruação, distensão abdominal, dor durante a evacuação, sangramento retal durante a menstruação ou dor na região abdominal inferior durante a micção.

Quais são as causas da endometriose?
Há diversas teorias sobre as causas da endometriose. A principal delas é que, durante a menstruação, células do endométrio, camada interna do útero, sejam enviadas pelas trompas para dentro do abdômen. Há evidências que sugerem ser uma doença genética. Outras sugerem ser uma doença do sistema de defesa. Na realidade sabe-se que as células do endométrio podem ser encontradas no líquido peritoneal em volta do útero em grande parte das mulheres. No entanto apenas algumas mulheres desenvolvem a doença.

Posso ficar infértil com endometriose?
A infertilidade ocorre por fator mecânico (aderências nos ovários ou nas trompas) ou comprometimento do aparelho reprodutor. Também podem ocorrer alterações na função ovulatórias, imunológicas (alteração da fertilização e implantação) e alterações do líquido peritoneal.

Quanto tempo leva para fazer o diagnóstico de endometriose em paciente com sintomas de dor menstrual?
O desconhecimento sobre a endometriose leva muitas pessoas a chegarem ao consultório sofrendo com os sintomas há anos (em média 5 anos), desconhecendo o mal que as aflige e que as impede de engravidar.

O comportamento da mulher moderna tem influência?
Muitos especialistas acreditam que a endometriose é encontrada mais freqüentemente em pacientes que nunca ficaram grávidas. Por esta razão, esta condição é algumas vezes chamada de “doença da mulher moderna”, porque as mulheres que trabalham fora de casa geralmente retardam a gravidez em alguns anos. Também entra em cena outro grande vilão da atualidade: o estresse. Muitos estudos mostram que a tensão em excesso prejudica o funcionamento do sistema imunológico. Excesso de trabalho, ansiedade, alterações no sono, tendência genética e poluição também estão relacionados à doença. Nesse contexto desfavorável, o saldo é de cerca de 6 milhões de brasileiras sofrendo de endometriose, segundo Dr. Maurício Abrão.

Como é a investigação da endometriose hoje?
Além do exame ginecológico, contribuem para investigação, a ecografia transvaginal e o marcador CA125. A laparoscópica serve não só para o diagnóstico, mas principalmente para o tratamento. No momento do procedimento, todos os focos de endometriose que são evidenciados são imediatamente retirados e cauterizados. Esta é a grande vantagem de um diagnóstico preditivo bem feito, pois se sabe exatamente o que será encontrado, com a possibilidade de se fazer uma boa programação antes da cirurgia.

Existe tratamento para endometriose?
Sim, existe tratamento para a endometriose: nos casos iniciais, é possível compor um tratamento clínico com a pílula anticoncepcional combinada ou só com progesterona e nos casos de doença avançada, o tratamento é sempre cirúrgico e seguido de complementação clínica. A laparoscopia é sem sombra de dúvida o método de diagnóstico precoce e o tratamento de eleição na endometriose, principalmente, associada à infertilidade, pelas informações complementares que nos oferece e quando realizada com critérios de micro cirurgia, pelo menor trauma que produz. Associado com mudanças da qualidade de vida e bloqueio hormonal da menstruação, as pacientes conseguem manter-se controladas.

Saúde do corpo e do espírito?
O estresse é o grande vilão para a saúde e a prevenção de várias doenças começa pelo controle dele. Assim, são de fundamental importância a prática de exercícios físicos e trabalhar a parte emocional das pacientes, às vezes, recorrendo a um suporte psicoterápico, em virtude da influência que o estresse e a ansiedade exercem sobre a doença e a qualidade de vida.

Como devo me cuidar?
A endometriose é uma doença que afeta milhões de mulheres em todo o mundo. Para muitas, a condição passa despercebida, mas para outras exige atenção profissional, especialmente quando compromete a fertilidade ou a dor afeta o estilo de vida. Escolher um médico qualificado e que está familiarizado com os últimos desenvolvimentos na gerência da endometriose é sua melhor estratégia. O médico que você escolher lhe recomendará o melhor tratamento baseado na sua situação específica e pessoal. Assim procure manter as suas revisões ginecológicas regulares e resolva todas as suas dúvidas.



< voltar